Neste domingo (25), manifestantes invadiram missas na igreja católica, devido a nova decissão constitucional que impede o aborto de fectos com problemas congênitos.

Houve confronto entre policiais e activistas antiaborto, manifestantes estes que se opem contra a lei que proíbe que mulheres com fectos que apresentem problemas congênitos possam abortar. Esta decisão revoltou grupo feministas que já consideravam as leis antiaborto da Polônia como uma das mais duras da Europa.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, manifestantes chegaram a pintar nas paredes de igrejas números de telefone de fornecedores de pílulas abortivas no país.

A Polônia já vinha registando protestos contra as medidas de restrição para conter o novo coronavírus — o país vive uma segunda onda pior do que a primeira tanto em casos quanto em mortes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here